quarta-feira, 3 de junho de 2009

Até à próxima!


Esta é a última aula de Área de Projecto deste ano lectivo.

Os trabalhos que publicámos tinham com objectivo elucidar-vos sobre alguns dos temas actuais que dizem respeito à nossa sociedade e a nós, adolescentes, em particular. Achamos que correu bem, pois conseguimos também perceber melhor os nossos problemas e, por exemplo, ficámos mais informados sobre algumas doenças que nos podem "estragar" a vida.

Além disso, o facto de usarmos as novas tecnologias foi deveras interessante e motivador. Temos agora mais à-vontade no uso deste novo meio de comunicação que é a Internet e particularmente no uso do Moodle e na criação e manutenção de um blog.

Até à próxima!

Noite Aberta 9 de Junho 21 Horas


O Instituto Educativo do Juncal tem o prazer de convidar todos os pais, alunos, Encarregados de Educação e familiares a conhecer as actividades dinamizadas pela nossa Escola, ao longo do ano, nas Áreas Curriculares e nas Actividades de Complemento Curricular:

Exposições Temáticas
Concurso de Leitura
Leitura de Contos
Banca da Saúde
Banca do Cientista
Jogos Tradicionais Ingleses
Quermesse
Mostras Gastronómicas
Karaoke
IEJuTuna
Banda IEJ
Victor Maurício
(participante no "Chuva de Estrelas)

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Mitologia Egípcia

Segundo a mitologia egípcia, o mundo começou quando o deus Rá nasceu pela sua própria vontade, numa pequena ilha no meio do Oceano.
Aí cuspiu Nut e Geb, seus filhos, respectivamente Deusa do Céu e Deus da Terra. Esses deuses foram gerar todos os outros. Do deus Rá nasceu também Shu, Deus da Luz.

Ísis
– Deusa das mães e das crianças, protectora dos faraós, casada com Osíris, seu irmão, e mãe de Hórus.

Osíris – Deus da vegetação, dos mortos e do Além, era faraó até que Seth, seu irmão, o atraiçoou e com ajuda de Ísis e Anúbis se tornou deus do Além.

Hórus
– Filho de Osíris e de Ísis, deus protector dos faraós e das crianças, também se diz que o Sol é o seu olho direito e que o seu olho esquerdo (que se regenerou depois de ferido pelo seu tio Seth) é a Lua.

Anúbis – Deus das mumificações, dos embalsamadores, dos mortos, dos moribundos e do submundo. Anúbis nasceu de uma traição. A sua mãe, Néftis, passando por Ísis enganou Osíris e seduziu-o enquanto era casada com Seth.

Seth – Deus da violência, do ciúme, da traição, da inveja e da desordem. É ele que combate todas as noites a serpente gigante Apópis, que ataca a barca Solar quando o Sol se põe, acabando sempre vitorioso. Conta-se que rasgou com as suas próprias garras o ventre de Chu para nascer.

Néftis – Deusa da morte e dos desertos, quarta filha de Geb e Nut, casada com Seth e mãe de Anúbis.

Bastet ou Sekhmet – Deusa representada com cabeça de gato. Era Deusa da Fertilidade, da Medicina, das grávidas e tinha poder sobre os eclipses solares. Era esposa de Ptah.

Ptah – Deus construtor, marido de Bastet.

Hapi – Deus do Rio Nilo, era ele que controlava as cheias dos rios, por isso, os egípcios dedicavam-lhe muitas oferendas.

Tot – Deus da sabedoria, da escrita, da aprendizagem, da magia, da Lua e da meditação do tempo. Ele escrevia os nomes dos faraós nas folhas de uma árvore feita de ouro.

Khnum
– Deus criador dos humanos. Este deus criou os humanos no seu torno, com barro e com argila, criou as formas femininas e masculinas, tendo especial atenção com os Faraós, mas para além de lhes dar a sua forma carnal (Ba), também lhes dava a sua alma (Ka).

Hathór – Deusa das mulheres, da fertilidade, do vinho, da alegria, da dança, dos céus e do amor. Esta deusa é representada com cornos de vaca, com um disco Solar entre eles e era também chamada “O olho de Rá”.

Bes – Deus da alegria e do prazer, que com a sua feiura e caretas afastava as doenças, os animais venenosos e fazia rir as pessoas, por isso era adorado por todo o Egipto. Bes é o único Deus egípcio representado de frente.

O mito de Osíris

Uma das mais conhecidas histórias da mitologia egípcia conta a Vingança de Hórus.
Osíris era o primeiro faraó do Egipto, mas o seu irmão Seth, invejoso, organizou uma cilada apoiado pelos seus ajudantes: mandou festejar um banquete no qual anunciou que quem tivesse as medidas perfeitas do sarcófago que ele mostrara ficaria com ele. O sarcófago, de ouro e com pedras preciosas, tinha as medidas exactas de Osíris, pelo que quando o Deus entrou nele, os ajudantes de Seth logo correram a selá-lo. De seguida, mandaram-no a um rio.
O sarcófago desapareceu e Ísis, preocupada, tentou seguir-lhe o rasto e descobriu que o sarcófago havia sido usado para construir uma coluna de um templo, então acorreu a salvar o marido.
Seth, que queria o trono do irmão, tentou uma segunda perfídia: cortou o corpo do seu irmão em 14 bocados e espalhou-os por todo o Egípto.
Ísis, então, corre todo o Egipto à procura do seu corpo e reunindo todos os bocados, pede ajuda a Anúbis, o Deus dos embalsamadores, que a ajuda a voltar a dar uma forma a Osíris. Aí, Osíris passa a governar o mundo dos Mortos.
Entretanto, nascera, filho de Ísis, o Deus Falcão Horus, que cresceu numa margem do Nilo escondido por papiros, o que o manteve seguro até chegar a idade adulta, idade em que ele tenta recuperar o trono de seu pai. Aí, ele discute com Seth que lhe propõe um duelo. Ambos se transformam em hipopótamos e tentam aguentar um mais do que o outro, sem respirar. Mas Ísis, com medo de que Seth lhe matasse o filho, fere-o num flanco.
Então reúne-se o tribunal dos deuses, a maioria dos Deuses está do lado de Hórus, mas Rá, está do lado de Seth. Seth pede para constituírem o tribunal numa ilha em que as mulheres não eram permitidas, mas Ísis contra-ataca, transforma-se em idosa e consegue autorização para aceder à ilha e lá transforma-se numa jovem muito bela e encontra-se com Seth.
Ísis conta-lhe que é uma viúva cujo cunhado quer ficar com o rebanho do seu marido, herança do seu filho. Seth, comove-se e diz que isso não é justo, pelo que o tribunal dos Deuses, apercebendo-se do que o esquema de Ísis fizera Seth dizer inconscientemente o justo, devolve o trono a Horus e exila Seth.
A partir daí, diz-se que todos os faraós descendem de Hórus.

A punição dos Humanos

Rá não gostava das atitudes que os humanos estavam a tomar, pelo que mandou Bastet, a Deusa gata, transformar-se em Sekhmet, a leoa, puni-los atacando-os, mas Sekhmet, começou a gostar tanto do sabor do sangue que estava a caminho do extermínio da raça Humana, mas aí, Rá compadeceu-se e mandou entornar cerveja vermelha no rio Nilo durante a noite, e Sekhmet, pensando que era sangue, bebeu até ficar embriagada.

O Deus Amon


O faraó, Akhenaton rejeitou todos os antigos deuses egípcios e passou a adorar um deus único: Amon, o faraó acabou por ser assassinado, a partir daí os velhos deuses foram repostos e o Deus Rá, passou a ter o nome de Amon-Rá.

A Serpente Apópis


Os Egípcios assumem o nascer do dia e da noite com a passagem da barca Solar, na qual Rá navega e enquanto está deste lado do mundo é de dia e quando do outro lado, a noite, mas todas as noites Seth faz provar a sua valentia vencendo a Serpente Apópis, que personifica o Mal.

A Lenda dos Poderes de Ísis

Há muito tempo, enquanto Rá caminhava pelo deserto, Ísis, espiando-o, concebia uma artimanha para que este lhe concedesse alguns poderes.
Quando Rá adormeceu, Ísis criou uma serpente com um pouco da saliva do Deus e com ela criou uma cobra, e quando Rá acordou, sendo incapaz de lutar com ela, foi socorrido por Ísis em troca de dizer os seus nomes secretos o que concedia poderes a quem os soubesse, mas não os disse todos, pelo menos, não o mais importante de todos.
A partir daí, com excepção de Rá, Ísis é a deusa mais poderosa do Egipto.


No fim, Rá pediu que Háthor se transformasse, e ela tomou a forma de um vaca muito branca que levou Rá para o céu, e a partir daí, Rá observa as acções dos Humanos a partir do céu.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Escravatura

Quando os Portugueses começaram a colonizar o Brasil, sentiram necessidade de alguém para produzir os seus bens materiais.
Como os índios Brasileiros não se adaptaram ao trabalho, Portugal foi buscar a mão de obra escrava ao continente Africano, pois os escravos eram mais trabalhadores e já sabiam como se faziam as coisas.

Mais informações aqui.

GUINESS WORLD RECORDS

A chinesa Xie Qiuping tem o maior cabelo do mundo. Quando entrou para o Guinness, as suas madeixas mediam 5,627 metros de comprimento, mais de três vezes a sua altura. Ela deixa seu cabelo crescer desde 1973 quando tinha 13 anos.

Lee Redmond, 65 anos, entrou oficialmente para o livro Guinness de recordes com as unhas mais compridas do mundo.Lee conservou as suas unhas sem cortar por 30 anos.A unha do seu polegar direito possui 89 centímetros e somadas têm 7,51 m.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Fast Food

Fast-food é o nome que se dá ao consumo de refeições que podem ser preparadas e servidas num intervalo pequeno de tempo. Desta maneira são comercializadas as sanduíches, pizzas, hamburgers, entre outros.
Este tipo de comida normalmente é vendido em lojas pertencentes às grandes redes de alimentação. A fast-food tornou-se sinónimo de um estilo de vida stressante que vem sendo criticado desde o final do século XX. O principal movimento organizado de contraposição é chamado de slow food ("comida lenta"), e teve sua origem em Itália, no ano de 1986.
Alimentos servidos nas ruas, por vendedores ambulantes, conhecida também como street food ("comida de rua") é uma prática que remonta à Antiguidade e tem presença em praticamente todas as regiões do mundo moderno e que pode ser considerada uma forma de fast-food.

A história do fast food

Os restaurantes estiveram presentes, de algum modo, na maior parte da história da civilização humana, mas normalmente atendiam os viajantes. Desde a Grécia antiga e Roma, hospedarias e tabernas geralmente serviam comida às pessoas que tinham uma razão para estar longe de casa. Esta tendência continuou até recentemente. Tavernas como a histórica Middleton (em cima) tradicionalmente atendiam as necessidades dos viajantes.

Embora o McDonald's tenha sido o primeiro restaurante a usar o sistema de linha de montagem, algumas pessoas pensam que o White Castle foi a primeira cadeia de fast-food. White Castle foi criado em 1921, em Wichita, Kansas. Naquele tempo, a maioria das pessoas achavam que os hambúrgueres vendidos em feiras, circos, e por vendedores ambulantes eram de baixa qualidade. Muitas pessoas pensavam que o hambúrguer vinha de sobras de matadouros e carne deteriorada.
Os fundadores do White Castle decidiram mudar a percepção que o público tinha em relação aos hambúrgers. Eles construíram os seus restaurantes de modo a que os clientes podessem ver a comida ser preparada. Pintaram as construções de branco e inclusive escolheram um nome que indicasse limpeza. O White Castle era muito popular no leste e meio-oeste americano, mas seu sucesso ajudou a dar à carne do hambúrguer uma reputação nacionalmente melhor. O White Castle teve um importante papel no desenvolvimento do fast-food.

Os irmãos McDonald abriram seu restaurante em 1948 e muitas cadeias de fast-food que existem até hoje abriram logo depois. Burger King e Taco Bell começaram na década de 50, e o Wendy's abriu em 1969. Algumas cadeias, como Carl's Jr., KFC e Jack in the Box, existiam antes do Sistema de Serviço Rápido.
McDonald's, que começou tudo isto, é actualmente a maior cadeia de fast-food do mundo.
De acordo com a National Restaurant Association, a receita bruta americana com o sector de fast food totalizou US$163,5 bilhões em 2005. A indústria está a crescer globalmente, como se vê. O total de vendas do McDonald's cresceu 5,6% em 2005, e a empresa tem 30.000 lojas franqueadas em mais de 120 países.
Porém, o McDonald's - e o fast-food em geral - nem sempre encontra uma recepção boa. Os restaurantes do McDonald's foram atacados em muito países, incluindo os Estados Unidos, China, Bélgica, Holanda, Índia, Rússia, Suécia e Reino Unido. As acusações são de que o McDonald's e outras cadeias vendem comida fora do
prazo de validade, fazem demasiada propaganda com as crianças e questionam valores locais e crenças.

Crianças sofrem com influência da TV
"A construção de bons hábitos alimentares tem sido uma tarefa exaustiva para muitos pais, que utilizam diversas alternativas para convencer os filhos a consumir alimentos saudáveis. Cada vez mais firme em suas decisões, as crianças têm sido influenciadas pelos apelos da publicidade de alimentos e bebidas. Atraídas por personagens e brindes ou mesmo pela televisão, a maioria das crianças não ligam à criatividade na cozinha, assim a negociação torna-se uma grande arma para os pais".

Érica Ferreira